Grafite ambulante

Keith Haring despontou para o mundo dos artistas pops na década de 1980, em Nova York (onde mais seria?), a partir de grafites em metrôs e espaços públicos, como manda o figurino. Dali, seus trabalhos ganharam as galerias de arte, o mundo da publicidade, da moda, até chegar ao maravilhoso universo dos carros, transformando seres motorizados em verdadeiras obras de arte. Que o diga o Petersen Automotive Museum, que expôs cinco criações do artista (na foto acima, com um BMW Z1 customizado, chamemos). À época, o curador da exposição, Leslie Kendall, afirmou, com tamanha lucidez e sensibilidade, que  a arte de Haring elevava “o carro de um meio de transporte para a expressão de um indivíduo”. Silêncio para ouvir as palmas. Olhando para as imagens abaixo, quem há de discordar….?

 

1963 Buick Special

 

1971 Land Rover Series III 109 Station Wagon

 

1962 SCAF/Mortarini Ferrari 330 P2 Child’s Car

 

* Arte em trânsito é o nome do título da CBNEWS que está em fase de pré-produção. O livro será composto por um ensaio fotográfico mostrando a presença do automóvel em obras de artes e o automóvel como suporte para a criação de obras artísticas. Acesse o site chicobarbosa.com e saiba mais

 

 

 

 

 

 


					

O dono da pista

21 de Fevereiro de 2018

Todos por um!

21 de Fevereiro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *